Texto Bíblico: Lucas 11:5-13

 INTRODUÇÃO

Muito melhor do que ser amigo de uma pessoa importante é ser filho dela. A parábola de hoje revela-nos o grande amor do Pai capaz de atender aos amigos do Reino, e muito mais, aos filhos do Reino. Estudaremos sobre a diferença entre o amigo e os filhos, e como todos tiveram suas necessidades supridas.

  1. 1.     O amigo está do lado de fora e os filhos do lado de dentro (11:5, 7).

A primeira diferença crucial entre o amigo e os filhos, é que o primeiro, ansioso por causa de uma necessidade surgida, se encontra do lado de fora da casa, clamando por um favor de seu amigo; enquanto os filhos deste se encontram do lado de dentro.

Em João 1:12 encontramos a palavra de que a todos os que receberam Jesus se tornaram filhos de Deus. Não mais apenas seres criados por Deus, mas filhos. Na condição de filhos não nos encontramos mais do lado de fora do Reino de Deus, e sim, do lado de dentro. Jesus disse a Nicodemos: “Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.” Ele está falando do novo nascimento espiritual que nos coloca do lado de dentro do Reino de amor do Pai e nos permite desfrutar de suas bênçãos.

Você já nasceu de novo? Você já teve a oportunidade de entregar o seu coração a Jesus, arrependido de seus pecados e desejoso de que Ele assuma o controle de sua vida? Se não, que tal aproveitar a oportunidade de hoje?

  1. 2.     O amigo está acordado e ansioso, enquanto que os filhos dormem supridos (11:5-7).

A segunda diferença entre eles é que o amigo, além de estar do lado de fora, possui uma necessidade que o deixa tenso e totalmente dependente de uma intervenção graciosa de seu amigo. Os filhos, no entanto, de supridos que estão já dormem há tempo.

Jesus disse em Mateus 6:32-33 que são os gentios (pessoas não aliançadas com Deus) é que ficam ansiosos, correndo de um lado pra outro, buscando suprir suas próprias necessidades. Quanto aos filhos, porém, Ele diz: “… pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas serão acrescentadas.”

Assim como os filhos do homem da parábola, O Senhor espera que descansemos nEle para todas as coisas. Ele quer que nós nos vejamos nEle em todo o tempo. Nossa relação de intimidade com o Pai resultará em provisão, e a provisão em descanso.

  1. 3.     O amigo recebe o que precisa por meio da importunação; os filhos, por direito de filiação (11:8 e 11-13).

Depois de muito insistir e importunar, o amigo que estava do lado de fora recebeu tudo o que precisava. Parece estranho pensar que para conseguirmos alguma coisa de Deus tenhamos de enfrentar tanta dificuldade, como se Ele não tivesse boa vontade para atender, não é mesmo? Porém, a lição da parábola é outra. Jesus quis nos ensinar que, se o amigo da parábola, tendo todos os fatores contra ele, mesmo assim conseguiu ser atendido em suas necessidades, quanto mais quem ocupa a posição de filho! Se o Pai Celestial atende aos que não estão em aliança com Ele por meio de sua importunação, como não atenderá aos Seus filhos preciosos que oram a Ele dia e noite? Temos alguns exemplos de pessoas que não estavam em aliança com Deus e que foram supridas por causa de uma atitude correta: A mulher siro-fenícia (Marcos 7:24-30); o centurião e seu servo (Mateus 8:5-13).

A parábola é um estímulo a se buscar ao Pai sem hesitação, de forma confiante.

Como você se vê: como amigo de Deus ou como filho dEle? Procure checar se você não tem andado ansioso em vez de se posicionar como filho, podendo apenas pedir ao Pai de acordo com suas necessidades. Procure observar se você não tem clamado ao Pai como se estivesse do lado de fora, longe das promessas e desprovido das bênçãos. Aproprie-se da sua posição em Cristo como filho de Deus, e estabeleça com Ele uma nova relação de intimidade.

CONCLUSÃO

Apesar do amigo da parábola estar do lado de fora, ansioso e sem provisão, por meio de sua importunação recebeu tudo o que necessitava. Se é assim para com os que se encontram nessa condição, muito maior a provisão para os que são chamados de filhos de Deus. Por conta da nova natureza espiritual que é resultado do novo nascimento, os filhos poderão gozar da presença do Pai, doador de todo o bem-estar espiritual, emocional e físico. Sendo assim, basta-lhes apenas pedir o que for necessário, que o Pai concederá com prazer, não entregando pedra no lugar de pão; cobra no lugar de peixe; ou escorpião no lugar de ovo. Pelo contrário, até mesmo Seu próprio Espírito Santo estará disponível aos que lho pedirem.

APLICAÇÃO

Desenvolva uma nova relação de intimidade com o Pai Celestial e procure transformar seus momentos de oração não numa oportunidade de apresentar-lhe uma “lista de supermercados”, mas numa relação de fé e amor, onde suas necessidades serão supridas e o coração do Pai se alegrará por sua confiança nEle.

 

 Wilson Maia