Texto Bíblico: II Crônicas 29:20-36

Introdução

 Depois de purificado o templo, o rei Ezequias restabeleceu nele o culto a Deus. Na verdade, o templo tinha uma função. Não bastava apenas estar limpo e purificado; ele precisava cumprir o seu propósito. Hoje veremos sobre o que se espera de um templo consagrado ao Senhor, nunca nos esquecendo de que o templo do Espírito Santo somos nós.

 1.     A Intercessão Que Aplique o Sangue de Jesus

 “E trouxeram sete novilhos e sete carneiros, e sete cordeiros e sete bodes, para sacrifício pelo pecado, pelo reino, e pelo santuário, e por Judá, e disse aos filhos de Arão, os sacerdotes, que os oferecessem sobre o altar do SENHOR…E os sacerdotes os mataram, e com o seu sangue fizeram expiação do pecado sobre o altar, para reconciliar a todo o Israel; porque o rei tinha ordenado que se fizesse aquele holocausto e sacrifício pelo pecado, por todo o Israel.” -  II Crônicas 29:21 e 24

1)      Em Favor do Reino – O reino terreno precisa ser um canal pelo qual o Reino de Deus possa ser desfrutado pelos homens. O rei Ezequias não queria reinar segundo a força ou sabedoria humana; seu desejo era que as pessoas tivessem a certeza de que Deus mesmo estava reinando através dele. O resultado disso seria um reino de paz, justiça e segurança. Hoje devemos orar para que também seja assim o governo da nossa nação. Precisamos interceder pelos governantes e suplicar o perdão para os seus pecados, aplicando o sangue de Jesus (1 Timóteo 2:1-2).

2)      Em Favor do Santuário – Qual é o santuário vivo de Deus na terra nos dias de hoje? A Igreja de Cristo Jesus. Nós somos o santuário de Deus entre os homens. Ezequias pediu os sacrifícios em favor do santuário porque este havia sido contaminado. A igreja de Cristo também precisa de intercessão em seu favor. Pecados de imoralidade, divisão, indiferença e tantos outros, têm tirado dela o seu poder e desvirtuado o seu propósito.

3)      Em Favor de Judá – Nos dias de Ezequias haviam dois reinos em Israel: o reino do Sul e o do Norte. O primeiro se chamava reino de Judá e o outro reino de Israel. Ezequias era responsável pelo reino de Judá e por ele buscou interceder. Qual é o território pelo qual você é responsável direto? Sua vida pessoal, sua família, ou qualquer outro segmento do qual você tenha sido constituído responsável, essa é a sua Judá, pela qual você precisa interceder.

4)      Em Favor de Todo o Israel – Apesar de não ser responsável direto pelo reino do norte, Ezequias sabia que toda a nação precisava de perdão e restauração. O avivamento acontece quando conseguimos ver além do nosso próprio território; quando começamos a nos preocupar com o todo e não somente com o que é nosso. Devemos nos identificar com a dor de outras famílias como se fosse a dor da nossa própria casa.

  1. 2.     O Resgate da Honra Através do Louvor e da Adoração

“E pôs os levitas na casa do SENHOR com címbalos, com saltérios, e com harpas, conforme ao mandado de Davi e de Gade, o vidente do rei, e do profeta Natã; porque este mandado veio do SENHOR, por mão de seus profetas. Estavam, pois, os levitas em pé com os instrumentos de Davi, e os sacerdotes com as trombetas. E Ezequias deu ordem que oferecessem o holocausto sobre o altar; e ao tempo em que começou o holocausto, começou também o canto do SENHOR, com as trombetas e com os instrumentos de Davi, rei de Israel. E toda a congregação se prostrou, quando entoavam o canto, e as trombetas eram tocadas; tudo isto até o holocausto se acabar. E acabando de o oferecer, o rei e todos quantos com ele se achavam se prostraram e adoraram. Então o rei Ezequias e os príncipes disseram aos levitas que louvassem ao SENHOR com as palavras de Davi, e de Asafe, o vidente. E o louvaram com alegria e se inclinaram e adoraram.” II Crônicas 29:25-30.

Enquanto os sacrifícios eram feitos, Ezequias ordenou que todo o povo louvasse e adorasse a Yavé. Era um resgate da honra a Deus que o povo havia abandonado por alguns anos. Os levitas, os sacerdotes, a congregação e o próprio rei, se curvaram e exaltaram Àquele que vive e reina para sempre, Aleluia! (Apocalipse 4:11).

Como ouvimos há poucos dias através do Pr. Tommy Tenney, o louvor e a adoração são as únicas coisas que ficam para Deus através de um culto. Todas as demais ministrações são a favor do homem: a pregação, o ensino, a imposição de mãos, a oração por cura e suprimento de necessidades. Mas o louvor sobe em meio a um aroma suave e agradável. A adoração enche o trono de Deus com um perfume extraordinariamente perfeito, e alegra o coração dEle. O templo, portanto, não é um lugar do qual apenas os homens se beneficiam. Deus quer se alegrar através dele e por meio daqueles que o louvam e o exaltam.

  1. 3.     Ações de Graças Que Sejam Evidência da Nossa Fé

“Disse ainda Ezequias: Agora, vos consagrastes a vós mesmos ao Senhor; chegai-vos e trazei sacrifícios e ofertas de ações de graças à Casa do Senhor. A congregação trouxe sacrifícios e ofertas de ações de graças, e todos os que estavam de coração disposto trouxeram holocaustos.” – II Crônicas 29:31

As ações de graças falam de gratidão, mas também de fé. Ezequias estava preocupado em apresentar sacrifícios que intercedessem em favor do reino, do santuário, de Judá e de todo o Israel; cuidou de resgatar através do louvor e da adoração toda a honra à Deus que havia se perdido aos olhos dos filhos de Israel; no final de tudo poderia pairar uma dúvida: Teria Deus aceitado tudo aquilo? Ele não tinha manifestado nada visível de que teria aceitado o sacrifício do povo, mas o comando de se apresentar ações de graças já fluía de uma mente convicta de que o coração de Deus havia se inclinado em favor de todos.

Assim é na nossa vida de oração. Nem sempre temos evidências de que fomos ouvidos por Deus, mas quando agradecemos por algo que ainda não vimos, demonstramos a nossa fé em um Deus que sempre nos dará o melhor, seja através do sim ou do não (Fp. 4:6).

Conclusão

 Espera-se de um templo restaurado a intercessão em favor dos governantes de uma nação, em favor da igreja de Cristo, das áreas sob nossa responsabilidade direta, bem como das áreas mais abrangentes. Espera-se de um santuário purificado a restauração do louvor a Deus que esteja sempre acima dos interesses humanos. E por fim, espera-se desse lugar de adoração que se apresente sempre com ações de graças, que é a evidência de um coração agradecido e cheio de fé, pela convicção de que foi ouvido por Deus.

Wilson Mais