Texto Bíblico: I Reis 17:8-16

 

Introdução

Houve um homem na Bíblia chamado Elias. Ele era um profeta corajoso que teve a ousadia de falar ao rei de Israel todas as palavras que o Senhor havia ordenado. Por conta disso teve de fugir e aguardar até que Deus lhe mostrasse os passos seguintes. Numa certa ocasião o Senhor o direcionou para a casa de uma viúva da cidade de Sarepta de Sidom, para dela receber seu sustento. Hoje veremos lições tremendas de avivamento como fruto desse encontro entre Elias e a viúva.

  1. 1.     Deus Queria Abençoar Aquela Viúva

“Então veio a ele a palavra do SENHOR, dizendo: Levanta-te, e vai para Sarepta, que é de Sidom, e habita ali; eis que eu ordenei ali a uma mulher viúva que te sustente” – I Reis 17:8-9.

Quem olha para o começo desta história vai pensar que o necessitado ali era Elias, enviado à viúva por causa da torrente de Querite que havia se secado. No entanto, quando o homem de Deus chegou àquela casa encontrou uma pobre viúva com o seu filho único prestes a comerem a última porção de alimento, para depois esperarem a morte chegar. Como alguém nessas condições poderia alimentar outra pessoa? No entanto, o envio de Elias àquele lugar estava dentro de um plano divino abençoador que pudesse mudar todo o curso de escassez, pobreza e necessidades, vividas por aquela família.

Em nossa vida também acontece o mesmo. Nas nossas maiores necessidades às vezes somos desafiados a socorrer outras pessoas. Quando isso acontece provavelmente é Deus criando uma oportunidade para nos abençoar.

  1. 2.     Deus Conhecia Aquela Viúva

“Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome; e a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a Sarepta de Sidom, a uma mulher viúva” – Lucas 4:25-26.

Deus conhecia a necessidade de todas as viúvas que viviam em Israel naqueles dias. Porém, Seus olhos se voltaram para aquela de Sarepta de Sidom. Muitas outras, provavelmente, estavam passando por situações bem críticas por causa da falta de chuvas e conseqüente fome daquele tempo. No entanto, apenas uma foi abençoada com um milagre tão especial como o vivido pela viúva de Sarepta de Sidom. O que queremos dizer é que não basta sabermos que Deus conhece nossas necessidades; o mais importante é que Deus nos conheça, e a partir desse conhecimento, Se incline em nosso favor.

Acreditamos que o que Deus conhecia naquela viúva que o inspirou a socorre-la, dentre tantas outras virtudes, era a capacidade dela crer e obedecer a despeito de todas as evidências contrárias, como veremos a seguir. Têm sido assim em sua vida?

  1. 3.     Deus Se Movia Através das Atitudes Daquela Viúva

“E ela foi e fez conforme a palavra de Elias; e assim comeu ela, e ele, e a sua casa muitos dias” – I Reis 17:15.

Estranhamente aos olhos humanos, mesmo sabendo que a viúva só mantinha um pouco de farinha e azeite para ela e seu filho, Elias insiste que o bolo seja feito primeiro para ele e depois para ela e o menino. Nos dias de hoje tal atitude do profeta poderia ser questionada como se houvesse algum interesse de se aproveitar de uma pobre viúva desamparada. Porém, dentro de um direcionamento divino Elias sabia que ao preparar o bolo e entrega-lo primeiro a ele, aquela mulher estaria liberando um processo abençoador a seu próprio favor. Como na lei da semeadura onde primeiro damos para depois recebermos, assim se daria naquela situação.  “Dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão  também” – Lucas 6:38.

Se ela se apegasse àquela pequena porção de alimento como sendo sua tábua de salvação tudo acabaria ali naquela mesma hora. Mas ela decidiu olhar mais além e crer na Palavra de Deus proferida pela boca do profeta. Maravilhosamente o Senhor se moveu a partir daquela decisão e atitude promovendo avivamento, multiplicação e grande salvação, para alegria de todos.

Conclusão

Três elementos foram notórios na vida da viúva personagem da lição de hoje. Deus queria abençoa-la e promoveu uma forma de o faze-lo, enviando um profeta para ser sustentado por ela. A vida daquela mulher atraiu o olhar divino; mesmo sendo estrangeira, distinguiu-se de tantas outras viúvas de Israel. Seu ato de obediência e fé gerou um dos mais impressionantes milagres de provisão conhecidos no Antigo Testamento. “Da panela a farinha não se acabou, e da botija o azeite não faltou; conforme a palavra do SENHOR, que ele falara pelo ministério de Elias”- I Reis 17:16.

Wilson Maia