Texto Bíblico: I Crônicas 4:9-10

 Introdução

Jabez – “Ele Causará Dor” ou “Aflição” – Recebeu esse nome porque a mãe dele disse: “porque com dores o dei à luz”. Ele foi um homem abençoado por Deus porque teve a sua oração ouvida. Sobre o teor da oração e o que ele pediu a Deus falaremos nos tópicos dessa lição. Antes disso, porém, queremos enfatizar sobre o que poderia ter motivado Jabez a fazer a oração que fez. Acredito que havia um temor que rondava a vida desse homem, provavelmente por causa da sua origem ou mais propriamente pelo nome que recebeu. O seu nome fala de aflição, de dor. O seu clamor, portanto, de alguma forma buscava uma mudança de curso ou uma bênção que o distanciasse de tudo o que seu nome sugeria: dor e aflição. Deus o ouviu e o abençoou. O que Jabez buscava?

  1. 1.     A Bênção Divina.

“Porque Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Se me abençoares muitíssimo…” – I Crônicas 4:10a

A despeito do nome que recebera, Jabez buscava a bênção de Deus sobre ele. “A bênção do SENHOR é que enriquece; e não traz consigo dores.” (Provérbios 10:22). Jabez sabia que se a bênção do Senhor se manifestasse não haveria possibilidade de se prevalecer a dor. Não importava a visão de dor e de aflição que a pessoa de Jabez provocou em sua mãe na hora do parto. A bênção do Senhor era capaz de desfazer aquela visão e projetar uma nova imagem de êxito e vitória.

A bênção do Senhor sobre sua vida é que pode desfazer as palavras de maldição que porventura você tenha recebido na hora do parto, ou durante a sua infância, ou durante qualquer outro período da sua vida.

  1. 2.     A Amplitude Divina.

“…e meus termos ampliares…” – I Crônicas 4:10b

A bênção divina traz consigo amplitude. É a capacidade de ampliar seus territórios, de fazer prosperar seu trabalho e multiplicar seus rendimentos. Dor e aflição sugerem perdas e prejuízos em todos os sentidos. É certo que o Senhor também trabalha através de situações difíceis. Deuteronômio 8:3 diz: “E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram; para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de tudo o que sai da boca do SENHOR viverá o homem.”. Porém, uma vez trabalhado o coração e removidas as devidas escórias de idolatria, auto-suficiência ou qualquer outra ramificação do mal, o plano final é trazer amplitude, conforme Deuteronômio 8:9-10: “Terra em que comerás o pão sem escassez, e nada te faltará nela; terra cujas pedras são ferro, e de cujos montes tu cavarás o cobre.

Quando, pois, tiveres comido, e fores farto, louvarás ao SENHOR teu Deus pela boa terra que te deu.”

Precisamos compreender que o Senhor continua nos provando em nossos caminhos para que nós mesmos saibamos o que há em nosso coração. No entanto, Ele é bom e deseja nos dar largueza. Aprendamos e vivamos os princípios bíblicos para que experimentemos a porção de amplitude que Ele têm reservado para nós.

  1. 3.     A Companhia Divina.

“…e a tua mão for comigo…” – I Crônicas 4:10c

Nada pode ser mais gratificante do que a certeza da presença divina conosco. Muitas vezes somos bombardeados por imagens, palavras, lembranças ou sentimentos destrutivos que insistem em querer nos acompanhar. Acredito que por muito tempo Jabez viveu com a impressão de que a sombra do fracasso estava ali por perto, sempre presente. Ele estava cansado disto e decidiu clamar para que a presença divina apagasse aquela sombra maligna.

Qual tem sido a nossa companhia? Temos desfrutado da mão divina sobre nós ou ainda somos assombrados por nuvens de desespero, melancolia, falta de perspectiva, dor ou aflição?

  1. 4.     A Proteção Divina.

“…e fizeres que do mal não seja afligido!” – I Crônicas 4:10d

Sinto como se Jabez estivesse orando mais ou menos assim: “Senhor, livra-me da aflição que o meu nome sugere!”. Na oração do Pai Nosso, Jesus nos ensina a pedirmos livramento do mal, em Mateus 6:13: “E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém.” A promessa divina é a de que aquele que anda nos caminhos de Deus nunca estará nas trevas, mas na luz; e como conseqüência será protegido do mal. I João 5:18 diz: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.”

A proteção contra o mal está disponível a todo aquele que crê e anda nos caminhos de Deus. Jabez orou e foi atendido. O Senhor o livrou dos males da vida e o cercou de graça e de glória. Confia que essa provisão também é para você.

Conclusão

A oração de Jabez foi simples mas eficaz. Ele pediu a bênção, a amplitude, a companhia e a proteção divina, elementos que fizeram dele um homem mais ilustre do que seus irmãos, porque Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.

Wilson Maia