Texto Bíblico: I Samuel 1:1-28

Introdução

Você já parou para pensar que a sua maior necessidade ou desejo pode representar exatamente a maior necessidade ou desejo de Deus? Creio que esse pensamento ficará mais claro ao nosso entendimento a partir da experiência de Ana, personagem da história de hoje.

  1. 1.     Ana e a Necessidade de Um Filho.

“E este tinha duas mulheres: o nome de uma era Ana, e o da outra Penina. E Penina tinha filhos, porém Ana não os tinha. (I Samuel 1:6) – E a sua rival excessivamente a provocava, para a irritar; porque o SENHOR lhe tinha cerrado a madre.” I Samuel 1:2

Ana era uma das esposas de Elcana, chamando-se a outra, Penina. Com grande tristeza Ana via seus anos se passarem sem desfrutar do privilégio de ter filhos, tendo de suportar com amargura as provocações de sua rival que os tinha naturalmente. Era uma grande desonra para uma mulher o não poder gerar filhos e Ana já não suportava mais aquela situação que era agravada pela zombaria de Penina. Ana passou a desejar um filho mais do que a própria vida, e determinada a busca-lo em Deus, dirigiu-se ao lugar de adoração em Siló e ali derramou toda a sua alma, chorando, pedindo e clamando para que o Senhor a ouvisse concedendo-lhe o seu pedido.

Precisamos conhecer e caminhar mais pelo caminho percorrido por Ana. Ela sabia que Deus a havia impedido de ter filhos (1:5) e que só Ele poderia remover qualquer impedimento. Filipenses 4:6 e Salmo 37:5 falam que os nossos pedidos, desejos, sonhos, e necessidades devem ser entregues a Deus. Esse foi o caminho que Ana escolheu para si.

  1. 2.     Deus e a Necessidade de Um Filho.

“Era, porém, Eli já muito velho, e ouvia tudo quanto seus filhos faziam a todo o Israel, e de como se deitavam com as mulheres que em bandos se ajuntavam à porta da tenda da congregação.” I Samuel 2:22

Deixando de lado por um pouco a necessidade de Ana, veremos que Deus também necessitava de um filho naqueles dias. Um filho que lhe fosse obediente, temente, sério, e que realmente se preocupasse em servir às pessoas e não aos seus próprios interesses. O sacerdote daqueles dias era Eli, já velho e sem autoridade sobre seus filhos, rebeldes e carnais. Deus já não podia falar ao povo por intermédio deles, mas somente contra eles através de outros profetas (I Samuel 2:30). Toda a nação pereceria se o Senhor não levantasse alguém como representante espiritual do povo diante dEle. Portanto, Deus também precisava de um filho.

É muito bom quando conseguimos pensar não apenas em nossos problemas ou desafios. Deus também precisa resolver algumas questões que podem estar relacionadas às nossas questões. Então, vamos procurar entender melhor como as duas necessidades, a humana (de Ana) e a divina, podem dar as mãos.

  1. 3.     A Parceria Entre Deus e Ana.

“E fez um voto, dizendo: SENHOR dos Exércitos! Se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, mas à tua serva deres um filho homem, ao SENHOR o darei todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha.” I Samuel 1:11

Por trás das dificuldades de Ana, estava o Senhor levando-a a um determinado lugar. Foi Ele quem cerrou-lhe a madre para não gerar filhos. Foi Ele quem permitiu a presença de uma Penina para provoca-la. Foi Ele quem a conduziu a um estado de indignação com aquela situação até que ela dissesse: “Basta!!!”. No clamor dela, um filho é gerado em suas entranhas e consagrado ao Senhor. Ana entrou em parceria com Deus e ambos ganharam. Ela viu o seu opróbrio desfeito e Ele ganhou um filho com quem pudesse se relacionar e a quem pudesse usar. (I Samuel 3:10) – “Então veio o SENHOR, e pôs-se ali, e chamou como das outras vezes: Samuel, Samuel. E disse Samuel: Fala, porque o teu servo ouve.” Samuel nasceu e foi entregue a Deus aos cuidados do sacerdote Eli. Mas como Ele é justo, bondoso e compassivo, permitiu que Ana tivesse outros filhos em lugar do que fora entregue ao Senhor: (I Samuel 2:21) – “Visitou, pois, o SENHOR a Ana, que concebeu, e deu à luz três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do SENHOR.”

Nós também possuímos nossas necessidades. Porém, nem sempre temos a percepção de que o que precisamos pode ser exatamente o mesmo que Deus precisa. Quando entendemos isso conseguimos ver nossos desafios, sejam financeiros, familiares, profissionais, ministeriais, saúde, ou qualquer outro que seja, não mais a partir do nosso próprio ponto de vista, mas do de Deus. Chegaremos à conclusão que o Senhor pode abençoar a nossa casa tremendamente se soubermos dedica-la a Ele, sendo Ele o maior interessado em usa-la. Nas finanças, por exemplo, Ele quer e pode nos abençoar. A nossa prosperidade material colocada nas mãos dEle poderá suprir as nossas necessidades e a de tantas pessoas a quem Ele quer abençoar através de nós.

Conclusão

Concluímos que Deus procura alguém que se identifique com as necessidades dEle a partir das experiências terrenas, e que decida entrar em parceria com Ele para gerar mudanças. A dor de Ana era a dor de Deus. Ambos buscavam um filho. Samuel foi a resposta contra o opróbrio de Ana e a favor dos propósitos do Senhor.

Wilson Maia