Texto Bíblico: Lucas 15:1-7

INTRODUÇÃO

Texto Bíblico: Lucas 15:1-7

Deus ama o mundo perdido e incumbiu Sua Igreja da missão de proclamar este amor a toda a criatura. Para que a Igreja cumpra bem esse papel, é necessário que ela tenha uma revelação mais abrangente acerca deste tema. Quais as revelações necessárias para se entender o coração de Deus?

  1. 1.     A Revelação de que a Ovelha Perdida é o Descrente – (vs.1-3)

Muitas vezes ouvimos ilustrações que consideram a ovelha perdida como sendo o crente da igreja que por algum motivo se desviou. Embora um crente numa situação assim também seja alvo da preocupação do Senhor, e também da igreja, contudo, não é sobre ele que a parábola discute. Note que o assunto que gera a necessidade de Jesus ensinar esta parábola está relacionado ao fato de que alguns o criticavam por ele comer com os pecadores. Ele freqüentemente era visto com pessoas consideradas ímpias, e por isso, sempre era criticado pelos religiosos que esperavam dele uma postura mais separatista.

Entretanto, Jesus sabia que eram os pecadores que necessitavam dele, e não os que já se consideravam puros. O mais importante de tudo isso é perceber que esse tema gerou a parábola da ovelha perdida, referindo-se ao pecador perdido como sendo essa ovelha que necessita ser resgatada.

Talvez tenhamos dificuldades de considerar o descrente como “ovelha de Deus”. Achamos que as ovelhas estão somente dentro dos templos (apriscos). Até nos chocamos quando pensamos naquelas pessoas que já cometeram crimes contra a sociedade, como sendo, aos olhos do Pai, ovelhas dEle; desgarradas, mas dEle. Mas é assim mesmo que o Senhor as vê: ovelhas perdidas que precisam ser resgatadas, alvos do Seu grande amor.

  1. 2.     A Revelação do Grande Valor da Ovelha Perdida Para Deus – (v.4)

A parábola conta que o pastor deixou as noventa e nove ovelhas por um tempo, a fim de procurar a que se perdera. É óbvio que ele as deixou em segurança, supridas e alimentadas, por serem também de grande importância para ele. Mas ao partir em busca da extraviada, o pastor revelou que aquela simples ovelha possuía aos seus olhos o mesmo valor das demais. Ele não se contentou em ter no seu aprisco a grande maioria. Certamente, ele se colocou no lugar da ovelha perdida, cansada, com sede e desorientada, e movido de grande compaixão, partiu em seu resgate.

Certamente o Senhor, nosso Sumo Pastor, está nos templos recebendo a adoração do seu povo. Porém, muitas igrejas não manifestam interesse pela conquista das vidas. Não desenvolvem programas que visam o resgate de famílias, nem se preocupam em conhecer sua responsabilidade na grande comissão, descrita em Mateus 28:18-20. Como conseqüência, com o tempo elas se esfriam, e perdem de vista o propósito da sua existência.

Por que isso acontece? Porque Jesus está onde se encontra o pecador. Lembre-se: Ele deixou as noventa e nove no aprisco e partiu em busca da desgarrada. E as noventa e nove? Elas não desfrutarão da presença do pastor no aprisco? Claro que sim! Porém, somente quando ele traz de volta a que se perdeu.

Queremos dizer que uma igreja saudável que desfruta da gloriosa presença de Deus é aquela que está comprometida com a salvação das vidas.

  1. 3.     A Revelação de que a Ovelha Encontrada Precisa de um Ombro Amigo – (v.5) 

Felizmente, houve salvação para essa ovelha. No entanto, por haver se perdido, ela está enfraquecida, provavelmente ferida, suja, sedenta e exausta. Além disso, ela não sabe o caminho de volta. É então quando o amável pastor a toma em seus braços e a coloca em seus ombros, para leva-la de volta ao aprisco.

A atitude desse amoroso pastor nos mostra que nós também precisamos aprender a levar o novo crente em nossos ombros. Como? Quando compreendemos que as pessoas que vieram do mundo também se encontram feridas, cansadas e desorientadas, então devemos oferecer-lhes descanso.

A Palavra de Deus nos propicia refrigério e restauração das nossas veredas (Salmo 119:176). Quando ministramos a Palavra de Deus, estamos ministrando descanso (Mateus 11:28-30). Quando intercedemos pelo novo crente, também o ajudamos a descansar (Lucas 22:32). Quando o acompanhamos em seus primeiros passos na vida cristã, também demonstramos apoio necessário para vencer essa etapa (Atos 11:23). Quando o ouvimos e compreendemos suas fraquezas e os encorajamos a seguir adiante, também os levamos sobre os nossos ombros (Hebreus 12:12-13).

CONCLUSÃO

A ovelha perdida é o pecador que ainda não se encontra na Casa de Deus, mas é alvo do amor divino tanto quanto os que já foram salvos. São chamados de ovelhas porque do ponto de vista do grande amor de Deus, Cristo morreu também por eles. Para que os alcancemos também precisamos vê-los como ovelhas do Pai. Não podemos vê-los como o mundo os vê: “prostitutas”, “corruptos”, etc. Precisamos vê-los como ovelhas, ainda que desgarradas. Ao resgata-los, precisamos suprir suas necessidades imediatas, oferecendo-lhes o perdão garantido na cruz do calvário e revelado na Palavra de Deus. A oração por eles, o aconselhamento e o acompanhamento dedicado, certamente serão benditas formas de coloca-los sobre os nossos ombros até que possam caminhar por eles mesmos.

APLICAÇÃO

Procure ser um resgatador de vidas segundo o coração de Deus. Ore para que o Senhor lhe conceda oportunidades de resgatar ovelhas que estão extraviadas neste mundo perdido. Alegre-se por vê-las salvas no aprisco, e sinta-se participante dessa vitória!

Wilson Maia