A Igreja em Célula

 

  1. 1.         Introdução

A Igreja em Célula é uma estratégia para o crescimento e consolidação dos crentes. Trata-se de um fenômeno espiritual que está transformando o cenário do mundo evangélico, sacudindo a indiferença, abalando a letargia (sono profundo/desinteresse) e trazendo um alerta glorioso à Igreja.

Esse fenômeno acontece não só no Brasil, mas também em diversas Igrejas ao redor do mundo (ex.: Coréia, Colômbia, etc.), transformando pequenas congregações em Igrejas fortes e restauradas.

A Igreja em Célula é uma poderosa ferramenta nas mãos do Espírito Santo para ajudar cada Cristão na edificação da Igreja e assim cumprir o grande mandado deixado por Jesus a todos os Cristãos em Mateus 28:19 e 20:

 

“Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenando

 

Falar de Igreja em Célula é falar do Cristianismo primitivo. Quando observamos a vida de Jesus e as estratégias usadas para levar o Evangelho até os confins da terra, notamos que, apesar de anunciar o Evangelho a multidões, Ele teve o cuidado de escolher apenas 12 pessoas às quais ensinara todas as coisas para que elas, quando estivessem capacitadas, também proclamassem as Boas-Novas a todas as nações.

Desse modo começou a primeira Célula. A vida de Jesus era Seu ensino principal, e só poderia ser vista de forma mais íntima por aqueles que se relacionavam diretamente com Ele num grupo pequeno.

 

  1. 2.         As Bases Bíblicas para o sistema de Células
  • Atos 2:1-4 – A Igreja primitiva nasceu em um lar;
  • Atos 2:42-47; Atos 5:42 – A grande celebração: Templo e a comunhão: “de casa em casa”;
  • Atos 10:1-48 – A casa de Cornélio é usada para abrir a porta de pregação do Evangelho aos gentios;
  • Atos 12:9-17 – A Igreja que se reunia na casa de Maria, mãe de João Marcos;
  • Atos 20:20 – Paulo afirma ter pregado de casa em casa;
  • Atos 28:16,23,24,30 e 31 – Por dois anos, Paulo faz de sua própria casa um local de pregação do Evangelho;
  • Romanos 16: 3-5 e I Coríntios 16:19 – A Igreja que se reunia na casa de Priscila e Áquila;
  • Colossenses 4:15 – A Igreja hospedada por Ninfa;
  • Atos 19:8-12 – Paulo usou as dependências de uma escola para reunir com a Igreja.

 

 

  1. 3.         O que é Célula?

Célula é uma miniatura da Igreja reunindo-se nas casas. A Célula pode ser comparada a uma célula do nosso corpo, isto é, ela não é o corpo todo, mas traz dentro de si todas as informações necessárias para gerar um corpo inteiro.

A Célula tem as seguintes características:

  • O grupo busca ser uma comunidade – Esse sentido de comunidade não deve ser degenerado, pois sem isso teremos reuniões impessoais e frias. Precisamos não pensar em nós mesmos, mas nos nossos irmãos. Para sermos uma comunidade devemos entender que a Célula é muito mais que uma reunião semanal. O relacionamento é mais importante do que a reunião. É no relacionamento que aprendemos a viver a vida cristã e, assim, somos supridos e suprimos os outros em amor.
  • O grupo visa à edificação dos crentes – O objetivo específico da Célula é a edificação de seus membros. Crentes realmente edificados na Palavra são crentes frutíferos.
  • O grupo almeja a multiplicação – O objetivo geral do grupo é o evangelismo e a multiplicação. Dessa forma, apesar de a reunião não ser evangelística, todo o projeto final de edificação do grupo visa à multiplicação.
  • O grupo tem lugar de reunião definido – Um lugar de reunião definido produz no grupo um senso de identidade, constância e segurança.
  • O grupo se reúne regularmente – Não basta ter um lugar de reunião definido, é necessário que o grupo se reúna numa base regular, de preferência semanalmente.

 

De todas as características acima, quatro delas definem os objetivos de toda célula:

  • Comunhão: Desenvolvimento de vida compartilhada, alvos comuns e aliança mútua entre todos os membros;
  • Edificação: A Célula deve oferecer o ambiente propício para o crescimento espiritual, aprendizado prático e disciplina;
  • Evangelismo: A Célula é o lugar ideal para inserirmos os novos membros;
  • Serviço: Na Célula os cristãos têm oportunidade de exercer os seus dons para o serviço mútuo. Devemos lembrar sempre que cada crente é um ministro, e cada um recebeu pelo menos um dom.

 

  1. 4.         Conclusão

Portanto, falar de Igreja em Células é falar da vida, do ensino e do ministério de Jesus Cristo e de Seus apóstolos. E todos os que são Seus discípulos devem fazer o mesmo que Ele, ou seja:

  •  Fazer parte de um grupo pequeno para aprenderem a relacionar-se;
  •  Sair a pregar as Boas-Novas de Salvação;
  •  Abrir sua casa para receber seus irmãos, os novos na fé e os que estão sendo conquistados para Jesus.
  •  Devem se tornar conscientes de que precisam receber a Palavra de Deus, aprender a respeito da Palavra, amadurecer na Palavra e ensinar a Palavra para o próximo.

Enfim, todo Cristão deve se tornar consciente de que “cada casa é uma Igreja e cada Cristão é um ministro”. Devemos trabalhar e orar para que todos os cristãos se conscientizem de que Célula não é apenas mais uma nova estratégia, mas, de fato, a vontade de Deus para sua Igreja.

 

 

Fonte: Natalie Calixto