Desafios da Vida Cristã

Lição 13 – Passos de Coragem: Jacó

 “Pela fé, Jacó, quando estava para morrer, abençoou cada um dos filhos de José e, apoiado sobre a extremidade do seu bordão, adorou.” Hb. 11:21.

O texto acima nos fala de um Jacó quase no fim da vida. Uma pessoa madura, que abençoava sua família, sua descendência, e, apesar das dificuldades da velhice, adorava ao majestoso Deus, que aprendeu a conhecer, a amar e a obedecer. Nesta fase de sua vida experimentava um nível de fé triunfante, onde estar com Deus lhe bastava. Jacó alcançou esta condição, mas, até chegar a ela, viveu entre os mais baixos e altos conflitos da natureza humana.

Jacó inicia sua vida tentando tomar o lugar de seu irmão. Saiu do ventre da sua mãe Rebeca, agarrado ao calcanhar de Esaú. Quando maior, engana ao irmão, tirando-lhe a primogenitura. Engana ao próprio pai Isaque, antes de fugir de medo do irmão. Logo em seguida tem um encontro pessoal com Deus, onde recebe uma promessa de ser abençoado. Isto lhe da forças para enfrentar um tempo em que é manipulado e enganado por seu Tio Labão. Enganado, experimentou uma vida de poligamia e os problemas familiares que isto acarretou.

Voltando, com sua família, para o lugar de sua origem, e ali encarar o irmão que havia enganado, decide dar um basta naqueles altos e baixos que vivia. Jacó agarra-se a Deus, lutando por mudanças na sua vida, por mudanças no seu caráter. Sua determinação fez com que Deus o segura-se. Ele mudou até o seu nome para Israel (Aquele que luta com Deus e prevalece, um príncipe de Deus.).

Jacó que levou uma vida de infelicidades, experimenta o poder transformador da comunhão com Deus. Seu relacionamento com Deus tornou-se essencial para a sua vida.

Muitos dos problemas familiares de Jacó continuaram, o que mudou foi a sua dependência de Deus para resolvê-los.

O importante é que ao acompanharmos a vida de Jacó, desde o nascimento até à sua morte, sempre vemos a mão de Deus trabalhando.

Funciona também assim conosco. Deus tem um plano para cada um de nós.

Será que somos parecidos com o jovem Jacó, que forçou Deus a segui-lo no deserto de seus próprios planos e enganos? Ou somos parecidos com o velho Jacó, que apresentava seus planos e desejos a Deus, pedindo sua aprovação antes de tomar qualquer atitude?

Somos instrumentos escolhidos por Deus. Que estejamos determinados a ver os seus planos serem cumpridos nas nossas vidas e através das nossas vidas. A transformação necessária para que isto ocorra depende mais de nós do que de Deus. Ele esta sempre pronto! E nós?

Pr. Geraldo Lazzarini Junior