Desafios da Vida Cristã
Lição 17 –  Servirmos para sermos os primeiros

“Mas Jesus, chamando-os para junto de si, disse-lhes: Sabeis que os que são considerados governadores dos povos têm-nos sob seu domínio, e sobre eles os seus maiorais exercem autoridade. Mas entre nós não é assim; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos.” Mc. 10:42-44.

Vivemos em um mundo altamente competitivo. Somos treinados desde pequenos a ocuparmos posições, alcançarmos graus de autoridade cada vez maiores; a conquistarmos o que de melhor o mundo tem para oferecer. Um mundo onde, normalmente, as pessoas mais conhecidas tem um currículo de conquistas muito grande. Bill Gates, Antônio Ermírio de Moraes, Chain Zaer, Maurílio Biagi, são pessoas conhecidas por suas fortunas pessoais, suas conquistas e o poder que exercem diante da sociedade. Possuem uma grande quantidade de pessoas que os servem, no dia a dia. O modelo secular é tradicional e hierárquico.

Nos tempos do ministério de Jesus, as coisas funcionavam da mesma forma. Dois dos seus discípulos, Tiago e João, reivindicaram junto a Ele a primazia de se sentarem à sua direita e à sua esquerda, quando estivesse assentado no seu trono, exercendo o seu reinado (Mc. 10:35-37). Eles acreditavam que o reinado de Jesus seria nos moldes daqueles que eles conheciam.

Jesus percebendo as intenções; a inveja e o ciúme que esta conversa estava despertando (Mc. 10:38-41), traz uma explicação reveladora do que é importante no seu reino. Isto trouxe uma grande contradição com tudo aquilo que eles entendiam a respeito de autoridade e poder.

Jesus ensina que no seu reino, a verdadeira grandeza consiste em servir aos outros. O maior, ou o primeiro, é aquele que serve a todos (Mc. 10:43-44).

Precisamos entender que podemos, sim, exercer altos cargos, possuir muitos bens e bastante dinheiro, isto não é errado. Errado é não utilizarmos com sabedoria aquilo com que Deus nos abençoa.  Sabedoria é utilizarmos tudo o que possuímos (Bens, talentos, habilidades) no serviço às pessoas. Trazermos a justiça de Deus para que todos sejam abençoados. Em vez de procurarmos satisfazer as nossas necessidades, devemos procurar formas para que as necessidades dos outros sejam supridas. Vivermos na justiça do reino de Deus é a certeza de que todas as nossas necessidades serão supridas (Mt. 6:31-33); isto é promessa de Deus.

Empresas e instituições medem a grandeza de alguém por meio das conquistas pessoais. No reino de Deus, entretanto, servir aos outros é uma forma de progredir.

Este é o grande desafio de nossa vida cristã. Utilizarmos os nossos bens, as nossas posições, o poder que exercemos, para agradarmos a Deus e causarmos um impacto real a favor do Seu reino.

O que aconteceria se aplicássemos este modelo de Jesus na nossa família, no nosso trabalho ou na nossa igreja? Seríamos grandes aos olhos de Deus?

Pr. Geraldo Lazzarini Junior