VITÓRIA NO DESERTO

Lição 4 – AS PROPOSTAS DE FARAÓ –  2ª Parte

 

2. SIRVAM A DEUS FORA DO EGITO, MAS NÃO MUITO LONGE

 Então, disse Faraó:

— Deixar-vos-ei ir, para que ofereçais sacri­fícios ao SENHOR, vosso Deus, no deserto; somente que, saindo, não vades muito longe; orai também por mim (Ex 8.28).

Já estamos cansados de avisos como estes: “Cuidado com o fana­tismo”, ou “Você está sendo exagerado…”, ou “Não seja extremista…” Na verdade, por mais que nos esforcemos para ser equilibrados, ainda corremos o risco de sermos apenas mornos. Apesar de gostarmos mui­to da palavra equilíbrio, não podemos nos esquecer de que mornidão nada mais é do que equilíbrio térmico, ou seja: um pouco de água fria com um pouco de água quente. O problema é que água morna (crente morno) provoca vômito em Deus (Ap 3.16).

Mornidão e cristão, apesar da rima, não combinam de forma al­guma. Ser cristão é tornar-se radical, inflexível e intransigente ao lado da Palavra de Deus. Ser cristão é estar alinhado e comprometido com a pureza, a santidade e a integridade do Senhor. Nesse sentido, Jesus foi radical. Ele definiu o modo de ser e viver de seus seguidores, nestes termos: “Ninguém pode servir a dois senhores [...] Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha” (Mt 6.24; 12.30). No mundo espiritual não há meio termo: ou somos de Deus ou somos do diabo.

Mas qual é a fala sutil do inimigo? – Não vá longe demais nesse negócio de igreja… – diz ele.

Como é triste ver tantos cristãos negociando com Faraó, e vivendo em algum lugar entre o Egito e Canaã. Coitados!

Já não são do mundo, mas também não entraramem Canaã. Estãono meio do caminho, ainda não foram até o final. Precisamos chegar ao nosso destino final, na oração, nos dons, na Palavra, no evangelismo, no poder do Espírito Santo. Ainda é tempo de renunciar à mornidão de um cristianismo apenas de aparência, quando no íntimo há um desejo de agradar ao mundo.

Não digo que devemos ser antipáticos ou desajustados emocionalmente. Refiro-me a atitudes tais como:

  • Eu quero servir a Deus custe o que custar, doa a quem doer.
  • Aplicarei meu tempo, meu dinheiro, minhas energias e habilidades para a expansão do Reino de Deus e edificação da Igreja.
  • Não fazemos negócios com Faraó.
  • Se é para ir, nós vamos longe com Deus.

Compartilhando: Leia Lc 6.22 e 10.16 – Nestes versículos, Jesus adverte que seríamos rejeitados por causa dele. Qual a implicação que a opinião popular e a opinião de Jesus têm em sua vida?

3.      SIRVAM A DEUS, MAS DEIXEM A FAMÍLIA FORA DISSO

 Então, os oficiais de Faraó lhe disseram:

– Até quando  nos será por cilada este homem? Deixa ir os homens, para que sirvam ao SE­NHOR, seu Deus. Acaso, não sabes ainda que o Egito está arruinado? Então Moisés e Arão foram conduzidos à presença de Faraó; e este lhes disse:

Ide, servi ao SENHOR vosso Deus; porém, quais são os que hão de ir?

Havemos de ir com os nossos jovens — res­pondeu-lhe Moisés —, e com os nossos velhos, e com os filhos, e com as filhas, e com os nossos rebanhos, e com os nossos gados; havemos de ir, porque temos de celebrar festa ao SE­NHOR.

Seja o SENHOR convosco — replicou-lhes Faraó —, caso eu vos deixe ir e as crianças. Vede, pois tendes conosco más intenções (Ex.10.7-10).

Caso falhem as artimanhas de “Faraó” para nos impedir de sair do “Egito”, certamente ele apelará para a intimidação, através de ameaças à nossa família. Ele não se “opõe” a que você sirva a Deus, desde que deixe para trás filhos e cônjuge. Precisamos fazer nossas as palavras de Josué, que disse: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.15).

Infelizmente, muitos irmãos têm deixado o diabo roubar-lhes os próprios filhos. Precisamos parar de barganhar com Faraó, e posicionar-nos para lutar e defender o nosso direito de servir a Deus com a nossa família, sem ingerência alguma do diabo. Precisamos lançar-nos aos pés do Senhor e dizer com ousadia: “Ou Deus faz, ou eu morro, mas a minha família servirá ao Senhor.”

4.      SIRVAM A DEUS, MAS DEIXEM OS SEUS BENS FORA DISSO

 Então, Faraó chamou a Moisés e lhe disse:

— Ide, servi ao SENHOR, Fiquem somente os vossos rebanhos e o vosso gado; as vossas crian­ças irão também convosco (Ex 10.24).

Não precisamos negociar coisa alguma com “Faraó”. Você não precisa aceitar a idéia de que Deus quer a pobreza e a miséria para você. “Faraó” fez tudo para impedir que o povo levasse seus bens, mas Deus não lhe permitiu, e ainda fez mais: fez com que cada egípcio presenteasse os hebreus com ouro e prata. Creio que é esta mesma atitude que Deus espera de nós hoje. Não ceda nem um centavo para o diabo. Vamos servir a Deus com os nossos bens.

A maneira bíblica de vencer “Faraó”, nesta questão, é entregar ao Senhor os nossos bens. Quando entregamos nossas ofertas, destronamos “Faraó”. E o mais importante: abrimos as portas para que a bênção fi­nanceira venha sobre nós. Analisando as propostas de Faraó, descobrimos que o inimigo sempre cede — aos poucos, mas cede. Por isso, precisamos permanecer na posição correta e tomar cada parte da herança que nos pertence. Portanto, pare de negociar com “Faraó”, não aceite nenhuma de suas propostas.

Compartilhando: Vamos ler Mt 14.24-27 e 22.15-21. Nestes textos Jesus mostra que o sistema do mundo impõe tributos aos cidadãos. Em sua opinião, é licito pagar impostos ao governo? Por outro lado, seria ilícito dizimar e ofertar?