VITÓRIA NO DESERTO
Lição 6/12 – ABRAÃO E LÓ – Parte 2

 

Quebra-gelo: Você já se meteu em uma grande encrenca? Para onde você gosta de ir para fugir de tudo?

 - A semana passada estudamos algumas características que fizeram de Abraão uma pessoa espiritual e vencedora: Abraão ouviu a Deus, andou por meio da fé e habitou em tendas.

- Hoje daremos continuidade ao nosso estudo e veremos outras características:

 4. Ló foi levado cativo; Abraão libertou-o.

- Em Gn 14.12-17, Ló envolveu-se numa guerra e foi levado cativo. Para libertar o sobrinho, Abraão também teve de se envolver.

- O crente carnal sempre dá trabalho aos espirituais. Os espirituais têm problemas, mas os carnais são um problema ambulante.

- Tudo aconteceu porque Ló estava no lugar errado e na hora errada. O entendimento próprio nos leva para fora da vontade de Deus e, nessas circunstâncias, podemos sofrer perdas desnecessárias.

- O mais impressionante é que não vemos Ló agradecendo a Abraão, como o fazem os outros reis ímpios. E o pior: Ló voltou a morar em Sodoma.

- Aquela experiência não lhe serviu de lição, visto que já estava acostumado com o pecado da cidade.

5. Deus fala com Abraão; Ló não conhece o mover de Deus.

- No capítulo 18, Deus resolve destruir Sodoma e decide não esconder o fato de Abraão.

Ocultarei a Abraão o que estou para fazer?” (Gn 18.17)

- Antes de Deus agir, Ele compartilha os seus planos. Mas com quem? Somente com o crente espiritual.

O profeta Amós dá o seu testemunho, dizendo: “Deus não fará coisa alguma sem antes re­velar os seus planos aos seus servos.” (Am 3.7)

- Enquanto Abraão compartilhava do coração de Deus, Ló estava completamente alheio e indiferente ao que acontecia. Não se diz que Deus tenha compartilhado seus planos com ele.

- Deus tem agido em nosso meio. Mas quantos percebem o mover do seu braço em nossos dias? Há uma intensa agitação no mundo espi­ritual, mas muitos de nós estamos dormindo tranquilamente como Ló, em Sodoma, à beira da destruição.

Compartilhar: Como você tem percebido o mover de Deus? 

6. Ló foi salvo pela intercessão de Abraão.

- Como foi dito na semana passada, Ló foi armando suas tendas cada vez mais perto de Sodoma.

- Na verdade, ele se deixou arrastar para aquela cidade. Embora tomasse conhecimento do que Deus faria à cidade, Ló ainda demorou-se para obedecer à ordem divina para sair de lá (Gn 19.16).

- Muitos crentes também são assim: tardios em obedecer a Deus. Ló foi salvo da destruição. No entanto, qual é o testemunho que se pode dar a seu res­peito? Quase nenhum.

- Quando estava prestes a destruir Sodoma, Deus lembrou-se de Abraão e salvou Ló (Gn 19.29). Que coisa impressionante! Ló foi salvo pela intercessão do homem espiritual. Deus salvou Ló por causa de Abraão. O vencedor entra no céu, mas o crente derrotado vai como que arrastado. 

7. Abraão gerou Isaque; Ló gerou Amon e Moabe.

- No final da vida destes dois homens, vemos os frutos finais. De um lado, Abraão gerou Isaque, que simboliza Cristo e o propósito final de Deus para a vida do homem. O alvo de Deus é que, no final, cada um de nós expresse Cristo em nossas vidas para que o mundo o veja.

- Por outro, em Gênesis 19.30-38, lemos que Ló gerou Amon e Moa­be. Dispensam comentários a forma incestuosa como Ló – com as próprias filhas – gerou esses filhos. Mais importante é o fato de que tanto a Amon quanto a Moabe foi-lhes vedado o direito de fazer parte da congregação de Israel (Leia Deuteronômio 23.3).

- Em consequência disso, tornaram-se inimigos do povo de Deus por todos os seus dias. Amon e Moabe apontam para o fruto da carne, podre e vergonhoso. Que fim melancólico para um servo de Deus!

Compartilhar: Quais frutos você tem dado: carnais ou espirituais? Como os não crentes que convivem com você o definem: um derrotado ou um vitorioso?

 - Temos diante de nós dois caminhos: o da carne e o do Espírito. O caminho da carne é a derrota, o do Espírito, a vitória.

- Alguns dizem: “Para mim, basta a salvação.” Mas não nos esqueçamos de que cada um de nós prestará contas de si mesmo diante de Deus.

- A vontade de Deus não é apenas ter um monte de mundanos salvos. A vontade de Deus é que completemos a nossa carreira, guardemos a fé e combatamos o bom combate de Cristo.