“Semeou Isaque naquela terra e, no mesmo ano, recolheu cento por um, porque o SENHOR o abençoava.
Enriqueceu-se o homem, prosperou, ficou riquíssimo;
possuía ovelhas e bois e grande número de servos, de maneira que os filisteus lhe tinham inveja.
E, por isso, lhe entulharam todos os poços que os servos de seu pai haviam cavado, nos dias de Abraão, enchendo-os de terra.
Disse Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós, porque já és muito mais poderoso do que nós.
Então, Isaque saiu dali e se acampou no vale de Gerar, onde habitou.
E tornou Isaque a abrir os poços que se cavaram nos dias de Abraão, seu pai (porque os filisteus os haviam entulhado depois da morte de Abraão), e lhes deu os mesmos nomes que já seu pai lhes havia posto.
Cavaram os servos de Isaque no vale e acharam um poço de água nascente.
Mas os pastores de Gerar contenderam com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso, chamou o poço de Eseque, porque contenderam com ele.
Então, cavaram outro poço e também por causa desse contenderam. Por isso, recebeu o nome de Sitna.
Partindo dali, cavou ainda outro poço; e, como por esse não contenderam, chamou-lhe Reobote e disse: Porque agora nos deu lugar o SENHOR, e prosperaremos na terra.
Dali subiu para Berseba.
Na mesma noite, lhe apareceu o SENHOR e disse: Eu sou o Deus de Abraão, teu pai. Não temas, porque eu sou contigo; abençoar-te-ei e multiplicarei a tua descendência por amor de Abraão, meu servo.
Então, levantou ali um altar e, tendo invocado o nome do SENHOR, armou a sua tenda; e os servos de Isaque abriram ali um poço.”

“Nesse mesmo dia, vieram os servos de Isaque e, dando-lhe notícia do poço que tinham cavado, lhe disseram: Achamos água.
Ao poço, chamou-lhe Seba; por isso, Berseba é o nome daquela cidade até ao dia de hoje.”

Gênesis 26.12-25 ; 32-33

Palavra ministrada pelo pastor Wilson Maia dos Santos no Culto da Família do domingo de 30 de novembro de 2014.